APOGEE
A Empresa
Projetos
Consultoria
auditoria
Treinamento
Agenda
Artigos
Recursos
Fale Conosco
 

 

Grupos de trabalho IEEE 80.3 e 802.11

 
     
 

Norma Brasileira de Data Centers

O ano de 2005 presenciou um marco para a indústria de data centers: a publicação da primeira norma de cabeamento para data centers – a TIA-942 – Telecommunications Infrastructure Standard for Data Centers. Outras normas estão a caminho, como as que estão sendo elaboradas pela ISO, pela CENELEC e pela ABNT.

 

As normas da ISO (24764 – Generic Cabling for Data Centers) e da CENELEC (50173-5 – Information Technology – Generic Cabling Systems – Part 5: Data Centers) tratarão somente do cabeamento estruturado para data centers, mas a brasileira, da ABNT, assim como a sua prima norte-americana, da TIA, também tratará sobre outros aspectos igualmente importantes, como arquitetura, elétrica e mecânica. A TIA e a ABNT também se preocupam em definir diferentes categorias – Tiers – de data centers, conforme a disponibilidade requerida pelo negócio da empresa.

 

A seguir, algumas das definições básicas utilizadas pela TIA-942.

 

A norma americana define quatro tiers de data centers:

  1. Básico
  2. Componentes redundantes
  3. Manutenção em paralelo
  4. Tolerante a falhas

 

Ela trata dos seguintes elementos da infra-estrutura do data center:

  • Cabeamento de telecomunicações
  • Distribuição elétrica (incluindo no-breaks e geradores de reserva)
  • Ar condicionado
  • Controle e monitoramento de acesso
  • Detecção e combate a incêndio
  • Elementos arquitetônicos
  • Outros elementos pertinentes à construção do data Center

 

Com relação à disposição dos equipamentos de TI e ao cabeamento associado, são definidas as seguintes áreas:

  • MDA – Main Distribution Area
  • HDA – Horizontal Distribution Area
  • ZDA – Zone Distribution Area
  • EDA – Equipment Distribution Area
  • CR – Computer Room
  • ER – Entrance Room
  • TR – Telecommunications Room

 

Elementos do cabeamento de telecomunicações:

  • Backbone
  • Horizontal
  • Conexões cruzadas
  • Tomadas de telecomunicações

 

O Brasil está elaborando sua própria norma para a construção de data centers. Foi formado um grupo na ABNT sob o comitê técnico CB-21 – Computadores e Processamento de Dados. Trata-se do grupo de trabalho GT-9, que está subdividido em quatro subgrupos:

  1. Civil (incluindo controle e monitoramento de acesso, detecção e combate a incêndio)
  2. Elétrica (incluindo distribuição e energia reserva)
  3. Climatização
  4. Telecomunicações

 

Cada subgrupo é formado por profissionais com grande experiência na área em questão, sendo coordenado por desses profissionais, eleito pelos demais. O presente articulista é o coordenador do subgrupo 4 – telecomunicações.

 

Após a liberação do primeiro texto de cada subgrupo, será elaborado um rascunho (draft) geral, reunindo todos os textos. Após as conseqüentes compatibilizações e revisões, a norma irá à consulta pública para posterior publicação. Espera-se que este ano ainda tenhamos o rascunho geral, englobando todas as áreas.

 

Os subgrupos têm se baseado bastante na TIA-942 em seus trabalhos, mas com a preocupação em se adequar à realidade nacional. Outras normas nacionais e internacionais têm servido de base para o desenvolvimento de nossa norma.

 

Um dos objetivos do grupo de trabalho é o de não se fazer uma norma que diga como projetar um data Center, e sim estabelecer os requisitos básicos para o seu projeto. Cada projetista ficaria livre para utilizar os seus conhecimentos e melhores práticas e tecnologias de mercado para construir um data Center.

 

Os trabalhos do subgrupo de telecomunicações já produziram um bom conteúdo. A seguir, algumas das definições até agora elaboradas, mas que podem sofrer alterações no decorrer do desenvolvimento da norma:

 

áreas do data center:

  • ADE – área de Distribuição de Equipamentos
  • ADH – área de Distribuição Horizontal
  • ADL – área de Distribuição Local
  • ADP – área de Distribuição Principal
  • ADS – área de Distribuição Secundária
  • áreas de Suporte ao Data Center
  • Infra-estrutura de Entrada
  • Sala de Computadores
  • Sala de Telecomunicações

 

Elementos do cabeamento:

  • Cabeamento de Backbone
  • Cabeamento Horizontal
  • Conexões cruzadas e interconexões

 

Com relação aos tiers, a tendência é a criação de quatro categorias, aos moldes da TIA-942:

  1. Pode ser interrompido a qualquer momento, intencionalmente (manutenção programdas) ou não, sem grandes perdas para o negócio.
  2. Já possui alguns elementos redundantes de forma a não permitir paradas não intencionais, mas precisa ser desligado, mesmo que parcialmente, em caso de manutenção.
  3. Seu maior nível de redundância já permite que manutenções programadas sejam realizadas sem prejuízo ao funcionamento dos serviços do data center.
  4. Possui o maior nível de redundância, permitindo a continuidade do negócio mesmo após acidentes durante manutenções programadas.

 

Há uma preocupação em não contradizer ou sobrepor outras normas nacionais. No caso de telecomunicações, compatibilizamos o texto com a recém lançada NBR 14565:2007 – Cabeamento de telecomunicações para edifícios comerciais.

 

Outros subgrupos já têm também textos quase prontos. No segundo semestre deste ano, os quatro textos serão reunidos e compatibilizados. Este é o segundo ano do desenvolvimento dessa norma, os trabalhos estão andando rapidamente.

 

Em breve, todo o mercado nacional poderá contar com esse importante recurso para auxílio na definição de seus projetos de data center.

 

 

 

Marcelo Barbosa

 
     
     
  << voltar para artigos  
     
Home Fale Conosco Email
NeoMacro Software